terça-feira, 5 de abril de 2011

MULHER ENCIUMADA, OFICINA DO DIABO


De seus digníssimos respectivos elas sabem a senha do email, facebook e do twitter. Checam torpedos, canhoto de cheque e recibo do cartão de crédito. Concatenam datas e horários, refazem traçados, e catalogam internamente um dossiê de eventuais ou obsoletas rivais: as que foram importantes e ficaram feias, as que foram feias e hoje são importantes, as que viraram mãe, as novatas, as semi-adolescentes, as deslumbradas, as de muito longe, as bem chegadas, as estagiárias, as atrevidas e as acima de qualquer suspeita. Toda outra mulher não passará desapercebida. E são ardilosas. Nem Julian Assange suspeitaria. Quando é dada a hora de mandar o verde, recorrem ao sexto sentido e a intuição feminina: “Eu senti”, argumentam, e o cidadão flagrado, estupefato, acredita piamente na perfídia feminina, desde os tempos das 1001 noites.

Já dizia Paulo Vanzolini, o pândego: “Nada pior do que mulher despeitada, porque nenhuma blusa lhe assenta”. Mulher despeitada é mulher contrariada. Mulher que descobre, na literalidade das coisas, que seu homem está comendo uma mulher mais peituda. O que seu homem não suspeita é que por trás de tanto ciúme, há uma devassa cheia de amor para dar. Para dar pros outros. Estão por toda parte. Basta o cidadão entender com que sorte de Sherazede está amancebado para proteger-se, se for capaz:

As Agatha Cristie

Elas recriam enredos tão sofisticados que o sujeito mesmo jamais cogitou que pudesse ter rolado tanta sacanagem naquela bobagem que cometeu no carnaval. Ainda assim elas vão escarafunchando pistas, inventando problemas e quando o adúltero se dá conta, se entregou só pela cara de espanto: “Caraca, como vc ficou sabendo???”.

Perfil psicológico: Quem não deve não teme! Mulheres assim aprontam e são peritas. Tem álibis idôneos, sonegam informação, sabem se desfazer de qualquer pista. Desconfiam de seus parceiros porque não confiam nem em si mesmas.

As Capitão Nascimento

Vencem por exaustão. Capazes de discutir a relação por dias, observam as nuances do discurso e não esquecem uma só palavra. Exigem pormenores: cor do cabelo, "conhece ela do onde?", "amiga de quem?", ao que o sujeito responde inocentemente seguro de que o suplício está chegando ao fim. É nessa hora, em que o réu está desarmado e confesso, que elas fazem as fatídicas inquisições derradeiras: "Fez boquete?", " Ela era mais bonita do que eu"?

Perfil psicológico: Como normalmente a resposta é sim -a traída é sempre mais feia, simplesmente porque mulher gostosa não faz esse tipo de pergunta- a terrorista tripudia. Ainda que seu forte seja a gente-finisse, ela não perde tempo. É do tipo que dá mole pra vagabundo. Bebe pra ficar soltinha e é capaz de dar vazão a seus instintos mais reprimidos com um mero desconhecido, só porque ele falou aquilo tudo que ela acha que seu macho diz pra outra.

As Condoleeza Rice

Dominadoras, discretas e condescendentes. Sabem que estão sendo chifradas, se fazem de desentendidas, dão corda pro sujeito se soltar só pra pegá-lo no flagra. Mas depois, camarada que segure a onda. A retaliação é norte-americana!

Perfil Psicológico: Mulheres assim não tem estrutura psíquica para perder. Elas nunca trairiam primeiro. Mas quando o fazem em resposta, não brincam em serviço. Pode ser com o irmão do cara, o melhor amigo ou com toda a galera do futebol, tudo ao mesmo tempo agora.

As Suzana Flag

Não são ciumentas, e por isso, sujeito deve ter cuidado em dobro com essas. Estão sempre acima de qualquer suspeita. Amigas da sogra, vestidas com recato, santas na balada, não esperam nem cobram nada de seus machos. Fazem a linha Amélia, até revelarem suas aptidões de lupanar.

Perfil psicológico: Mulher assim não tem superego. Tudo é possível.

Um comentário:

Marcia disse...

Corrija: "seus extintos mais..." por instintos, né. Não me encaixo em nenhum perfil destes. Hehehehe!!!